sábado, 17 de janeiro de 2015

Diretor de Escola Pública – Municipal ou Estadual – Parte 01


Relação de provas anteriores
Cargo: Assistente de Diretor de Escola
(Organizadora do concurso e Ano de realização da prova)
- ASSESSORARTE - Ano 2007
- CESGRANRIO - Ano 2009
- VUNESP - Ano 2012
- Assistente Diretor de Escola CETRO - Ano 2009
- Assistente Diretor de Escola FCC - Ano 2011

Cargo: Diretor de Escola
(Organizadora do concurso e Ano de realização da prova)
- CESGRANRIO - Ano 2007
- CESGRANRIO - Ano 2009
- CESPE - Ano 2006
- CONRIO - Ano 2014

Total de 09 provas (Arquivo zipado)
Para acessar os arquivos é necessário cadastro no 4Shared.


Exercícios de fixação

01 - Educadores de uma escola estadual decidiram formar uma rede social por meio da Internet, com o objetivo de trocar experiências para promover melhorias de suas práticas em sala de aula. Esse tipo de iniciativa
(A) requer um estilo de organização piramidal, em que as ações são geridas a partir de referenciais instituídos.
(B) proporciona a multiliderança por meio da ação de facilitadores que ajudam os participantes a gerir ações.
(C) envolve a autorização de gestores do município e de suporte técnico, para que seu funcionamento alcance os educadores.
(D) solicita um produtor social que tem o papel de promover ações difusas, formando grupos colaborativos.
(E) demanda a existência de um gestor da rede que estabeleça funções, áreas de atuação e metas institucionais.

02 - Segundo a LDB, o regime de progressão continuada nas escolas é:
(A) obrigatório em todas as redes de ensino.
(B) obrigatório na educação mantida pelos estados.
(C) optativo, desde que os sistemas assim o definam.
(D) optativo, de acordo com a definição dos estabelecimentos escolares.
(E) obrigatório nos sistemas oficiais e optativo no sistema particular de ensino.

03 - O Projeto Pedagógico, segundo a LDB, deve ser definido, com autonomia
(A) pelas Secretarias de Educação para os estabelecimentos de ensino do país.
(B) pelos estabelecimentos de ensino, independentemente das regras dos sistemas de ensino.
(C) pelos estabelecimentos de ensino, de acordo com as regras dos sistemas de ensino.
(D) pelos Conselhos Estaduais de Educação para os estabelecimentos oficiais.
(E) pelo Conselho Nacional de Educação para escolas públicas e particulares.

04 - A Proposta Curricular do Programa São Paulo Faz Escola estabelece um currículo básico e comum a todos os alunos da rede.
Esta proposta tem por finalidade:
(A) sinalizar as aprendizagens mínimas a que todos os alunos de São Paulo têm direito.
(B) facilitar o controle por parte da SEE do cumprimento do Projeto Pedagógico da escola.
(C) cumprir o disposto em normas especificas do C.E.E. Conselho Estadual de Educação.
(D) orientar a escolha dos livros didáticos pelos professores em cada escola.
(E) permitir a troca de experiências entre escolas de diferentes diretorias.

05 - Uma das 10 metas estabelecidas pela SEE em 2007 para melhoria da qualidade do Ensino Médio associada aos resultados do desempenho dos alunos desse segmento no SARESP determinou diversas ações visando à melhoria desses resultados e o alcance daquelas metas.
Considere os seguintes projetos desenvolvidos pela SEE.
I. Ler e escrever.
II. Apoio à continuidade de estudos.
III. Recuperação paralela.
IV. Programa de Bonificação de Resultados.
Referem-se diretamente à melhoria do desempenho
no Ensino Médio:
(A) I e II, apenas.
(B) I e III, apenas.
(C) I e IV, apenas.
(D) Il e III, apenas.
(E) I, II e IV, apenas.

06 - Em 2007, a SEE/SP organizou o currículo oficial do Estado apresentando-o em sua Proposta Curricular, obrigatória para todo o sistema, orientando os educadores na construção e execução da Proposta Pedagógica de sua escola.
Para subsidiar a implementação da Proposta foram elaborados e distribuídos os materiais: Proposta Curricular, caderno do professor, caderno do gestor, videoteca de formação, caderno do aluno e material de recuperação para professores e alunos
A partir de 2008, foram colocados links no site “São Paulo Faz Escola”, em que o professor avaliou os materiais distribuídos. Este canal continua mantido para um diálogo permanente. Esses dados serviram para controlar a qualidade do material produzido, sua adequação em sala de aula e o grau de adesão à Proposta Curricular.
Esse conjunto de operações define uma ação:
(A) de caráter obrigatório amparada por lei dado que o Plano Estadual de Educação de São Paulo determina que a Secretaria elabore materiais de apoio aos professores, gestores e alunos.
(B) obrigatório, prevista em legislação própria que antecede qualquer mudança substantiva no currículo.
(C) estratégica e democrática para implementação de um currículo comum.
(D) de natureza política para se contrapor ao PNLD.
A partir dela as escolas deixaram de receber os livros didáticos do MEC.
(E) aparentemente democrata mas que na pratica não considerou as sugestões de mudança propostas pelos professores da rede.

07 - Vania e Lia são gestoras de uma escola. Vania é a diretora e Lia, professora coordenadora. Elas estão sistematizando as informações sobre sua escola com o objetivo trabalhar para a implantação da Proposta Curricular. Para isso, elas começam a encaminhar uma série de ações que visam a elaborar um diagnóstico da unidade de ensino. O Caderno do Gestor 2009, vol.1, sugere que o conjunto de ações a serem seguidas pelas gestoras é:
(A) 1. Ler atentamente a atual Proposta Pedagógica da escola;
2. deter-se nos aspectos didáticos, que são os que realmente interessam;
3. formular um plano para resolver os problemas identificados e apresentá-lo ao diretor da escola, atentando ao fato de que seu papel é também motivar e propor soluções.
(B) 1. Ler atentamente a atual Proposta Pedagógica da escola;
2. deter-se naquilo que não está funcionando bem para otimizar sua análise;
3. construir instrumentos para o diagnóstico e análise, que têm como foco, principalmente, os aspectos físicos da escola.
(C) 1. Ler atentamente a atual Proposta Pedagógica da escola;
2. construir instrumentos que vão auxiliar no diagnóstico das três diferentes dimensões escolares: a dimensão contextual, a comunicacional e a didática;
3. formular um plano para resolver os problemas identificados em cada uma das dimensões e apresentá-lo ao diretor da escola, atentando ao fato de que seu papel é também motivar e propor soluções.
(D) 1. Conversar sobre os problemas da escola e agendar uma reunião geral com pais e professores;
2. traçar metas de trabalho para o futuro a partir dessa reunião;
3. procurar outras escolas para conhecer suas Propostas e propor uma outra Proposta Pedagógica baseada naquelas.
(E) 1. Conversar sobre os problemas da escola e agendar uma reunião geral com pais e professores;
2. traçar metas para o futuro a partir dessas reuniões;
3. resolver os problemas diagnosticados, poupando a direção da escola e aproveitando as experiências bem sucedidas.

08 - Vera assumiu recentemente a direção de uma escola pública estadual na qual manifestam-se cotidianamente muitos conflitos: entre professores e alunos e professores dos diferentes segmentos entre si, entre funcionários e professores e entre alunos. A nova diretora tem como objetivo assumir um modelo administrativo de “Direção por valores”(DPV), uma “ferramenta de liderança estratégica” como está descrita em Trigo J. R. & Costa J. A. (2008). Para alcançar o seu objetivo, Vera deve seguir, em sua gestão, os seguintes princípios:
(A) Priorização da resolução dos problemas emergenciais; centralização das decisões na direção da escola; ingerência da direção em todas as atividades promovidas pelos estudantes; priorização da criatividade na resolução de problemas complexos.
(B) Valorização dos conflitos para a resolução rápida dos mesmos; priorização dos resultados das ações a curto prazo; manutenção do foco das ações nas prioridades dos professores; rigor ao lidar com as diferenças de opinião.
(C) Manutenção do foco das ações nas prioridades dos alunos e dos funcionários; rigor em relação à presença das famílias no ambiente escolar; ingerência da direção em todas as atividades promovidas pelos estudantes; valorização da autonomia dos atores envolvidos no processo.
(D) Priorização do diálogo sobre os valores partilhados; priorização da criatividade na
resolução de problemas complexos; valorização das pessoas; valorização da autonomia dos atores envolvidos no processo.
(E) Valorização da autonomia dos atores envolvidos no processo; garantia da fidelidade à direção por parte dos funcionários; priorização do diálogo sobre os valores partilhados; manutenção do foco das ações nas prioridades dos professores.

09 - As gestoras de uma escola estão organizando modalidades de formação continuada para colocar em prática nas HTPCs da escola com os professores regentes de sua unidade de ensino. Uma exigência relativa à organização das HTPCs é
(A) Os professores da 1ª série do Ciclo I deverão participar da formação que acontecerá na Unidade Escolar, nas Horas de Trabalho Pedagógico Coletivo.
(B) Os Professores Coordenadores não devem intervir na organização dos horários das HTPCs, que são definidos pela direção.
(C) As questões pedagógicas e as administrativas, devem ser resolvidas nas HTPCs.
(D) Os professores do Ensino Médio são obrigados a participar das HTPCs, que são momentos de planejamento coletivos na unidade escolar.
(E) As HTPCs não devem ser usadas para modificar o planejamento realizado pelos professores da unidade, pois este é definitivo, não podendo ser refeito.

GABARITO
01 – B        
02 – C        
03 – C        
04 – A        
05 – D       
06 – C
07 – C        
08 – D       
09 – A


Links relacionados

A importância do Edital


Empresas Organizadoras de Concursos Públicos

AjuriCespeFadespFumarcMakiyama
AdviseCetapFadurpeFuncabMoura Melo
AOCPCetroFCCFunRioMSConcursos
BioRioConsulplanFEPESEIbamVunesp
CesgranrioESAFFGVIpadZambini
Tenha acesso a todo conteúdo clicando em MAPA DO BLOG

Diretor de Escola Pública – Municipal ou Estadual – Parte 02


Relação de provas anteriores
Cargo: Diretor de Escola
(Organizadora do concurso e Ano de realização da prova)
- CONSULPLAN - Ano 2012
- de Ensino Fundamental EGP - Ano 2013
- Educação Infantil MOURA MELO - Ano 2011
- Ensino Infantil EGP - Ano 2014
- FCC - Ano 2009 - Pref de São Paulo
- Fundamental I E II MOURA MELO - Ano 2007
- INDEC - Ano 2011

Total de 07 provas (Arquivo zipado)
Para acessar os arquivos é necessário cadastro no 4Shared.


Exercícios de fixação

01 - Segundo Juliane Correa Marçal (2001), o Projeto Pedagógico de uma escola tem as seguintes características.
(A) Deve ser elaborado por meio do diálogo com todos os atores envolvidos, embora as decisões mais significativas devam ser tomadas pelo Conselho Gestor com o apoio da SE.
(B) Deve ser elaborado com base no trabalho coletivo; é um processo gradativo, que oferece as diretrizes gerais quanto ao que a escola precisa desenvolver, retratando a identidade da escola.
(C) É um processo longo e, uma vez registrado em documento, torna-se definitivo; envolve todos os indivíduos da unidade da escolar; sua existência interfere diretamente no cotidiano da escola.
(D) É um documento definitivo, irrevogável, que deve ser homologado em uma reunião geral e respeitado pela comunidade escolar, que tem o poder de vetá-lo, se necessário for.
(E) Retrata a identidade da escola; deve durar pelo menos 24 meses, podendo a partir daí passar por um processo de avaliação.

02 - O IDEB: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, foi criado pelo Inep em 2007 e representa a iniciativa de reunir num só indicador dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação:
fluxo escolar e média de desempenho nas avaliações. Assinale a alternativa que mostra a Avaliação utilizada pelo IDEB, bem como a população de alunos cujos desempenhos são considerados.
(A) Desempenho na Prova Brasil ou no Saeb para as séries 4ª e 8ª do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio.
(B) Desempenho na Prova Brasil ou no Saeb para as séries 1ª a 4ª do Ensino Fundamental e 1ª a 3ª do Ensino Médio.
(C) Desempenho no ENEM e 3ª série do Ensino Médio.
(D) Desempenho no Saeb para 2ª, 4ª, 6ª e 8ª séries do Ensino Fundamental.
(E) Desempenho no Saeb para 8ª série do Ensino Fundamental e 3ª série do Ensino Médio.

03 - O IDESP, Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo, é composto pelos seguintes critérios:
(A) Os resultados obtidos na Prova Brasil e a relação entre idade e série dos alunos.
(B) Os indicadores resultantes do SAEB, confrontados ao desempenho dos alunos no
SARESP.
(C) O desempenho dos alunos nos exames de proficiência do SARESP e o fluxo escolar.
(D) O tempo de aprendizagem comparado aos resultados obtidos, a cada três anos, no PISA.
(E) A avaliação do ensino nas séries iniciais do Ensino Fundamental, comparados aos resultados obtidos ao final do Ensino Médio.

04 - Assinale a alternativa que descreve uma das mudanças ocorridas no SARESP a partir de 2007.
(A) Passa a avaliar alunos de todas as séries do Ensino Fundamental, inclusive aqueles com histórico de repetência.
(B) Passa a não mais funcionar para a avaliação de estudantes do Ensino Médio, pois avaliação deste nível de Ensino será feita exclusivamente pela Prova Brasil.
(C) Passa a contar com bases curriculares diferenciadas: para cada região administrativa do Estado de São Paulo, uma proposta curricular específica.
(D) Passa a avaliar de modo diferenciado os alunos das áreas urbanas e rural do estado.
(E) Passa a utilizar as bases conceituais do Projeto “Ler e escrever”, que funciona como referência de aprendizagem para as séries do Ciclo I.

05 - No início do segundo semestre letivo, os pais de Pedro compareceram a uma escola para matriculá-lo.
Recém-chegados à cidade, oriundos de outro estado, disseram que no processo da mudança os documentos de transferência do filho haviam extraviado. Apresentaram a certidão de nascimento e descreveram o seu desempenho na escola anterior, onde cursava o 3º ano do Ensino Fundamental.
Demonstravam aflição pela grande dificuldade para obter uma segunda via dos documentos e desejavam que o filho pudesse dar continuidade regular aos seus estudos. Nessa situação, nos termos do que dispõe a Lei 9394/96, a direção da escola deve adotar o seguinte procedimento:
(A) Autorizar a frequência do aluno à escola, na série equivalente à citada pelos pais, sendo a matrícula efetivada posteriormente, quando da apresentação da documentação expedida pela escola de origem.
(B) Autorizar a matrícula do aluno, enturmando-o com base na sua faixa etária, com possibilidade de mudança de turma após o recebimento dos documentos da escola anterior.
(C) Submeter o aluno a uma avaliação, no âmbito da própria escola, e autorizar a matrícula na série adequada ao grau de desenvolvimento apresentado pelo aluno, independentemente da escolarização anterior.
(D) Orientar os pais a procurar os órgãos oficiais com competência para a solução do problema, indicando-lhes os endereços e relacionando os documentos a serem apresentados.
(E) Impedir que o aluno seja matriculado já que a legislação preconiza que sem documentação adequada a matrícula não poderá ser efetivada.

06 - Uma escola de Ensino Médio está interessada em ofertar, também, cursos técnicos. Para que possa concretizar essa intenção, seguindo o que está expresso no Parecer CNE/CEB n° 17/97, que estabelece as diretrizes operacionais para a educação profissional em nível nacional, a equipe gestora dessa escola
(A) deverá optar por oferecer somente cursos técnicos, pois a legislação pertinente separou essa modalidade do Ensino Médio, devido a suas especificidades.
(B) precisará de aprovação de Proposta Pedagógica expedida pelo Ministério da Educação para implantar as novas habilitações técnicas.
(C) necessitará manter exclusivamente a oferta do Ensino Médio, visto que a legislação não permite que haja mudanças na natureza da oferta de modalidades de ensino.
(D) terá o direito de implantar cursos técnicos no currículo do Ensino Médio por meio da substituição de disciplinas da área de humanidades por módulos da área tecnológica.
(E) poderá oferecer componentes curriculares de caráter profissionalizante na parte diversificada, até o limite de 25% do total da carga horária mínima do Ensino Médio.

07 - A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (Lei 9394/96), no art. 9°, § 1º, confirmou a atuação do Conselho Nacional de Educação, que é um órgãos
(A) de Estado e de assessoramento ao governo no âmbito do Ministério da Educação.
(B) em expansão no território nacional, superando 5.500 representações nos municípios.
(C) com representação nos estados por conselhos específicos, criados na Constituição de 1988.
(D) cujos membros são indicados pela sociedade civil para deliberarem sobre assuntos educacionais.
(E) criado após a Proclamação da República, com o objetivo de assessorar as instituições de ensino.

08 - O Comunicado da SE, publicado em 21 de dezembro de 2007, relativo ao “Programa Ler e Escrever” orienta para que a formação dos professores regentes da 1a e da 2ª série do Ciclo I aconteça na Unidade Escolar, sob a responsabilidade do Professor Coordenador, nos horários destinados às HTPCs (Horas de Trabalho Pedagógico Coletivo) e em momentos específicos a serem planejados pela Diretoria de Ensino. De acordo com o Caderno do Gestor 2009, vol.1, que o mecanismo mais ADEQUADO para avaliar este tipo de ação de formação continuada?
(A) Aplicação de questionário a ser respondido pelos professores regentes ao fim de cada uma dessas etapas, a ser corrigido pelo Professor Coordenador e que contenha uma escala de 0 a 10 pontos.
(B) Reflexão coletiva dos professores que participaram da formação.
(C) Reflexão individual dos professores e apresentação de relatório.
(D) Reuniões semanais convocadas pelos gestores para avaliar o desempenho dos professores regentes.
(E) Reunião entre a direção e a coordenação, sem participação dos professores.

GABARITO
01 – B        
02 – A        
03 – C        
04 – E
05 – C
06 – E        
07 – A        
08 – B


Links relacionados

A importância do Edital

Empresas Organizadoras de Concursos Públicos

AjuriCespeFadespFumarcMakiyama
AdviseCetapFadurpeFuncabMoura Melo
AOCPCetroFCCFunRioMSConcursos
BioRioConsulplanFEPESEIbamVunesp
CesgranrioESAFFGVIpadZambini
Tenha acesso a todo conteúdo clicando em MAPA DO BLOG